A Arena Mediática: relações entre fontes e jornalistas no âmbito do jornalismo político

Full text: Unavailable

Publisher: Unknown publisher

Preprint: policy unknown. Upload

Postprint: policy unknown. Upload

Published version: policy unknown. Upload

Abstract
A relação entre fontes de informação e jornalistas é uma das áreas mais complexas dos estudos sociológicos sobre a comunicação. Os investigadores dividem-se entre aqueles que defendem que os media são poderosos veículos de produção e reprodução de ideologias dominantes e meros porta-vozes das elites políticas e económicas, e aqueles que acreditam na autonomia dos jornalistas enquanto mediadores e negociadores do processo de construção noticiosa. Todavia, ambas as tradições sociológicas concordam num ponto: os media competem, hoje, num mercado ainda a tentar adaptar-se às novas tecnologias, altamente concorrido, desregulamentado e dominado pelos grandes empórios comunicativos. Esta realidade está a transformar profundamente o jornalismo como o conhecemos e a classe profissional é a que mais está a sofrer com estas mudanças: cada vez mais precária, cada vez mais desiludida e cada vez mais desmotivada. Baseado na minha experiência como estagiário da secção de Política do Diário de Notícias, este trabalho vai tentar levantar algumas questões sobre a relação entre estes jogadores. Jornalistas e fontes de informação digladiam-se pelo poder na arena mediática, com vitórias circunstanciais para ambos os lados? Ou faz sentido falar numa batalha perdida, com fortes prejuízos para uma profissão que sempre lutou pela sua liberdade e autonomia? ; The relationship between journalists and news sources is one of the most complex areas of sociological studies of communication. Researchers are divided between those who argue that the media are powerful vehicles of production and reproduction of dominant ideologies and mere mouthpieces of political and economic elites, and those who believe in the autonomy of journalists as mediators and negotiators of news construction process. However, both sociological traditions agree on one point: the media compete today in a market still trying to adapt to new technologies, hyper-competitive, deregulated and large dominated by communicative emporiums. This reality is profoundly changing journalism as we know it and the professional class is the one that is suffering with these changes: increasingly poor, increasingly disappointed and increasingly disheartened. Based on my experience as an intern of the political section of the Diário de Notícias, this work will try to discuss some questions about the relationship between these players. Journalists and sources of information t battle it out for power on media arena, with circumstantial victories for both sides? Or it makes sense to talk about a battle which is already lost with heavy losses for a profession that has always fought for their freedom and autonomy? ; Relatório de estágio do Mestrado em Comunicação e Jornalismo apresentado à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.