Published in

Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído, Ambiente Construído, 3(10), p. 07-22

DOI: 10.1590/s1678-86212010000300001

Links

Tools

Export citation

Search in Google Scholar

Benefícios económicos e ambientais inerentes ao uso de materiais estruturais naturais em habitações unifamiliares

This paper is made freely available by the publisher.
This paper is made freely available by the publisher.

Full text: Download

Question mark in circle
Preprint: policy unknown
Question mark in circle
Postprint: policy unknown
Question mark in circle
Published version: policy unknown
Data provided by SHERPA/RoMEO

Abstract

Em Portugal, a indústria de construção habitacional tem recorrido essencialmente às estruturas de betão armado e de alvenaria de tijolo cerâmico. As estruturas metálicas, de madeira e de alvenaria de pedra têm tido expressão reduzida nesse setor da construção, e são muito pontuais as aplicações da terra crua como solução construtiva, desenvolvidas por técnicos e empresas particularmente interessados nesses materiais. Nesse contexto, pretende-se estudar soluções construtivas mais sustentáveis, recorrendo a materiais de construção naturais. Para o efeito, foram estudadas para uma habitação unifamiliar com tipologia típica três soluções estruturais: estrutura porticada de betão armado e lajes aligeiradas pré-fabricadas (designada neste trabalho por solução tradicional); solução estrutural à base de materiais naturais (solução sustentável I); e solução que contempla a reutilização de madeira proveniente de demolições habitacionais (solução sustentável II). As soluções estruturais com recurso a materiais naturais estudadas são definidas por paredes resistentes de bloco de terra comprimida (BTC) e estrutura de madeira nos pavimentos e cobertura. Essas soluções estruturais são comparadas em termos de custo, gastos energéticos e teor de emissão de CO2 associados à construção. Verificou-se que as soluções mais sustentáveis são muito mais vantajosas no que diz respeito a esses três aspectos.